Sapo Saúde

A abordagem clinicamente infantil à crise, como a denomina Nuno Cristiano de Sousa por privilegiar o castigo (austeridade e sacrifícios)

face à autonomização (oportunidades de empreendedorismo), tem constituído um obstáculo à evolução social, acentuando o sentimento

de dependência face ao exterior, para aqueles que não conseguem subsistir, e impedindo os que poderiam criar melhores condições de

vida aos restantes indivíduos de o fazer, com uma carga fiscal elevada e estímulos à evasão fiscal.

 

[google-drive-embed url=”https://drive.google.com/file/d/0B0n3NWc_BBGvUGNzNWF6TFYwT00/preview?usp=drivesdk” title=”SapoSaude_17Fev12.pdf” icon=”https://drive-thirdparty.googleusercontent.com/16/type/application/pdf” width=”100%” height=”400″ style=”embed”]