Porque ganhou Trump as eleições nos EUA?

Trump não ganhou as eleições porque os Americanos são burros, ganhou porque ele é um sintoma na natureza humana no seu estado mais elementar.

Acusar os Americanos de burrice é uma generalização tão básica como aquelas de que Trump é acusado. Na verdade, mais americanos votaram Hillary, no entanto Trump ganhou nos estados que garantem mais lugares no colégio eleitoral. Portanto, factualmente a maioria dos americanos que são acusados de ser burros votaram Hillary.

Mas é parcialmente compreensível esse julgamento porque tentar justificar um argumento superior com a mesma rudeza do argumento que se critica, não é mais do que outro sintoma da natureza humana.

A natureza humana não é mais do que funcionamento instintivo, básico, portanto. O animal homem quando nasce funciona maioritariamente sobre o princípio da dominância e da desconfiança do diferente e do desconhecido. Achar que o Homem no seu estado natural é mais do que um bicho, é romantismo ou medo de nos revermos nessa infeliz posição. O que nos transforma em gente é a educação que, infelizmente, pode ser precária porque geralmente é transmitida por pessoas que também nasceram bicho. Felizmente, ao longo da evolução da espécie, houve alguns que por sorte e/ou por vontade elaboraram a genética da humanidade que é a cultura. A cultura é o resultado da aprendizagem de uma sociedade, uma sociedade experiente tem cultura, justiça, educação e outros princípios que não ainda não existem em todas as culturas.

Quando não se é educado para se pensar, fica-se limitado a um funcionamento básico que se prolonga pela vida. No entanto, dá-se ao luxo de esperar que todas as pessoas, mesmo as que não tiveram possibilidade e/ou vontade de ser educadas, tomem decisões complexas.

Quando se pedem a massas de pessoas que tomem decisões complexas sobre assuntos para os quais não se foi educado, não se podem esperar resultados maduros.

Quando não se tem a possibilidade de perceber assuntos complexos, naturalmente só se cria empatia com a parte mais superficial e simplista das questões e tende-se a reagir impulsivamente aos pormenores de que não se gosta. Se, por um lado, nos EUA a necessidade de mudança é compreensível, talvez não seja produtivo que se mude para uma coisa qualquer.

A esfera da política é complexa, não só pela quantidade de questões legais que lhe são inerentes, mas também pelas dinâmicas de influências e de interesses que nem sempre chegam ao público (que vota).

O problema das eleições não é Trump ter sido eleito, mas o facto de que uma quantidade grande de pessoas que o apoiou e que o criticou não foi educado para fazer um voto com consciência das consequências que o voto poderia ter.

A democracia não devia ser apenas o direito a votar, mas o dever de um voto informado.

Trump ganhou porque utilizou um discurso fácil. Fácil de criticar, mas também fácil de se empatizar, porque era básico. Hillary perdeu, porque não soube explicar assuntos complexos de forma a que as massas a compreendessem. É difícil perceber, por exemplo, no que consiste o papel dos EUA na ONU, mas é fácil empatizar com a ideia de que a ONU não presta e que “nós” (os americanos) não temos que cumprir responsabilidades (que nem se percebem bem quais).

Os votos informados não se ganham na campanha política, mas na educação para a política, que claramente não existe.

(Cartoon: David Rowe)

2018-05-22T20:42:30+00:00