A adolescência pode ser uma das fases de vida mais difíceis de lidar, porque é a altura em que começam a surgir as grandes questões para o futuro e as relações com os amigos e família são vividas de uma forma bastante intensa, o que muitas vezes se traduz em sentimentos por vezes difíceis de tolerar e de compreender.

Seja compreender que profissão ambicionar no futuro, quais os amigos que são verdadeiramente genuínos, ou como gerir as expectativas dos pais face ao que são os próprios projectos, como conquistar aquele amor, qual a orientação sexual…

As preocupações a gerir nesta fase entram sempre na vida do adolescente de rompante e com “violência”! 

O trabalho terapêutico foca-se principalmente em ajudar a compreender as escolhas, as motivações para as escolhas e a descobrir qual a forma que poderá ser mais útil para resolver a situação, sempre tendo em conta que o que está em questão não são os ideais do terapeuta, mas sim o que é mais genuíno no adolescente. Mais do que “dar a cana de pesca”, passa por “ajudar a aprender a fazer a cana de pesca à sua maneira”!

Uma vez que o adolescente frequenta vários grupos da sociedade (família, escola, grupos de actividades extracurriculares, etc.), as formas como “os dilemas da vida” se manifestam variam entre as mais diversas formas, contudo podem passar pelos seguintes:

  • Dificuldade em manter concentração na escola e em obter aproveitamento;
  • Embaraço em iniciar relacionamentos amorosos e escolher quem são as pessoas que se quer;
  • Dúvidas sobre a vida sexual;
  • Vivência de períodos incapacitantes após o termino de relações afectivas;
  • Relações conturbadas com amigos;
  • Dependência de substâncias ou de jogos e/ou internet;
  • Perturbações alimentares;
  • Tristeza constante ou sentimento de que “tudo está mal”;
  • Confusão em compreender os pais e o que eles pretendem;
  • Dificuldade em perceber quem são as pessoas boas e más da vida…